happy young woman with megaphone

Neste artigo gostaria de ressaltar um aspecto interessante que é observado em várias empresas, mas também na sociedade e nas pessoas em geral: as falhas na comunicação interpessoal.

Definir comunicação é fácil; vários livros e textos explicam que comunicação é um processo interativo onde há uma mensagem transmitida pelo emissor, através de um meio e de um canal, chega ao receptor; nesse processo pode haver interferências como ruídos, que criam várias distorções, tais como aquelas ocorridas na percepção das pessoas que pode gerar uma imagem falsa de como o indivíduo realmente é; também quando generalizamos uma impressão geral favorável ou não influencia o julgamento e a avaliação de outros traços específicos do indivíduo; outra distorção é quando atribuímos ou projetamos a terceiros características nossas rejeitadas inconscientemente; dentre outras que poderiam ser citadas.

Sabemos também que cada pessoa interpreta uma mensagem de forma diferente, através dos chamados “filtros” ou nossas percepções, interesses e desejos, ou seja, a forma de como vemos e percebemos o mundo. Por exemplo: a empresa comunica demissões; para alguns isso é uma grande ameaça e cria desmotivação, ansiedade, etc, para outros, isso pode ser uma oportunidade de mostrar um melhor trabalho para sobreviver na empresa por mais tempo, ou ainda, a pessoa pode até se motivar em arrumar um emprego melhor em outro lugar, depende da pessoa e de como ela recebe e interpreta a informação.

Quantas vezes nós mesmos não causamos ruídos ou essas conseqüências de uma mensagem mal entendida? Isso é observado nas relações interpessoais em nossas casas, nas ruas, em empresas de pequeno, médio e grande porte, ou seja, onde há comunicação.

Coloca-se um exemplo típico: seu chefe ou superior (ou você mesmo ocupando essa função) deseja saber do subordinado se ele está interessado em aprender na organização; simplesmente esse superior pergunta: “Você prefere mudar de horário ou permanecer no mesmo, como de costume?”. Para o subordinado, às vezes, pode ser que permanecer seja melhor, devido aos compromissos já assumidos depois do expediente; e sem saber do motivo da mudança, pode pensar que é apenas uma troca de horários e não uma nova aprendizagem para melhorar sua carreira. Se isso fosse explicado, muito logicamente a mudança de horário seria aceitável. O certo seria perguntar se a pessoa estaria interessada em mudar seu horário para aprender coisas novas. Parece um exemplo exagerado, mas acontece muito nas empresas. Explicar os motivos do que você quer dizer ou comunicar é primordial para uma melhor qualidade da mensagem e para evitar as consequências ruins comentadas.

E a educação quando falamos com outros colegas de trabalho? Esse é outro ponto interessante. Repare as conversas por telefone ou pessoalmente, principalmente quando estamos atarefados, falamos rápido e isso pode criar distorções nas mensagens e resultados contrários aos esperados. Além disso, pode haver problemas relacionamento, como nos casos em que queremos falar ou solicitar alguma coisa para alguém e este simplesmente ignora ou diz que está ocupado; muitas vezes cria-se o estereótipo de “pessoa chata”, ou afirmações do tipo “não custava me atender”; e isso também ocorre quando atendemos clientes ou quando somos atendidos em algum lugar. Muitas vezes é um assunto simples e rápido de ser resolvido, que mesmo se a pessoa não tem competência ou disponibilidade para responder ou atender naquele momento, pode agir com certo zelo e pedir para esperar ou que assim que tiver um tempinho irá ajudar, ou mesmo passa para outra pessoa ou anota o recado. Podemos ajudar os outros da mesma forma que gostaríamos de ser ajudados, e isso inclui uma boa comunicação.

Uma observação final: seja claro, breve, direto e explique o motivo e o que realmente deseja na comunicação, evitando todos os problemas comentados e outros que possam surgir; seja na comunicação falada, escrita, gestual ou outras.

Espero ter comunicado bem o recado para vocês.

Demetrio Luiz Pedro Bom Junior

Contador e Administrador de Empresas

CRC SP-315480/O-1 / CRA SP 78891

Diretor Educacional Suplente – AESCON Ribeirão Preto

E-mail: [email protected]