Com tudo que a economia, a política e a sociedade têm passado, é momento de empreender? Criar ou desenvolver uma ideia de negócio pode dar certo agora? É muito arriscado? Dará lucro ou vou gastar tudo que tenho e não conseguirei recuperar?

Muitas pessoas, incluindo as que, por força de demissões, estão abrindo CNPJ e pensando em abrir seu próprio negócio, deve estar com as dúvidas e questionamentos acima; afinal, vivenciamos um momento de incertezas, de indefinições e não queremos piorar nossa situação individual e familiar, não é verdade?

Existem dois tipos básicos de empreendedorismo: por necessidade, devido ao desemprego e problemas financeiros, por exemplo, para voltar ao mercado de trabalho e ter uma renda, já que não há alternativa mais viável no momento; e por oportunidade, visando colocar em prática ideias de negócio, desejos pessoais e empresariais, buscando realização e crescimento pessoal e profissional. Independentemente do tipo, é preciso saber empreender. Criar e gerir um negócio não é fácil, necessita capacitação, preparação, dedicação plena, além de motivação e empenho. Antes, é preciso avaliar sua ideia de negócio, ver oportunidade que outros não viram ou enxergam como ameaça, verificar suas fontes de capital para financiar este negócio em seu início (dinheiro e bens próprios, de terceiros como familiares e empréstimos bancários, aluguéis e etc.); verificar a viabilidade deste negócio, vendo o retorno financeiro, público a ser atingido, políticas e planos de marketing, recursos humanos, distribuição, fornecimento, dentre outros.

Para formalizar o que foi mencionado acima, é preciso adotar um Plano de Negócios, que seja muito bem feito. Esta ferramenta é um excelente planejamento, que trás uma visão para o curto, médio e longo prazo. Ajuda também a atrair investidores e clientes, além de parceiros interessados. Contar com a ajuda de especialistas é outra orientação. Administradores profissionais, economistas, contadores, advogados e especialistas da área em que deseja empreender podem trazer informações e análises pertinentes, pois é preciso conhecer o que afeta o seu novo negócio e empresa, como legislações, práticas e rotinas, tributos, fluxo de caixa, precificação, tendências e etc. É preciso, inclusive, acompanhar e estar bem informado sobre o setor em que deseja empreender, vendo publicações, participando de eventos e etc.

Porém, é preciso ver que tipo de produto ou serviço traduz a sua ideia de negocio; o que será ofertado ao público, que tipo de necessidades, demandas e desejos realizarão; se é uma inovação ou algo inédito, ou seja, uma invenção e se realmente há mercado para isso, a viabilidade dos mesmos em todos os aspectos, considerando concorrentes atuais e potenciais, diretos e indiretos. Cuidado ao imitar ideias de outros empreendedores, pode não dar certo; tenha a sua! Faça uso de suas aspirações, experiências, conhecimentos e aptidões para pensar na sua ideia de negocio. Ou seja, considere também em seu “feeling” ou intuição junto às análises mercadológicas, financeiras e operacionais.

Muitas vezes pensamos que empreendedorismo é criar uma nova empresa ou oferecer um novo produto ou serviço como dito, algo exterior apenas, mas isso não é verdade. Há o intraempreendedorismo. Sim, dentro de organizações isso pode ser estimulado. Novas formas de pensar sobre a operação de uma empresa, trazendo criatividade, inovação, eficiência, eficácia e economia são aspectos que envolvem o empreendedorismo dentro das empresas. Ambientes criativos promovem a implantação do intraempreendedorismo, buscando soluções para, além de melhorar a operação como comentado anteriormente, desenvolver e criar novos produtos e serviços, novas formas de comunicação com o público interno e externo, melhora do clima organizacional, planejamentos menos rígidos e restritos, além de possibilitar uma gestão mais flexível, inovadora, participativa.

Tudo o que foi comentado brevemente neste texto, acredito, ajuda a perceber e avaliar o melhor momento para empreender ou ao menos permitir um caminho para responder esta e as outras questões colocadas no início. Esteja atento às oportunidades e planeje a abertura do seu empreendimento. Afinal, “é um olho no gato e outro no peixe” e que você possa fisgar o melhor sempre! Sucesso.

Demetrio Luiz Pedro Bom Junior

Contador e Administrador de Empresas

CRC SP-315480/O-1 / CRA SP 78891

Diretor Educacional Suplente – AESCON Ribeirão Preto

E-mail: demetriolpbjr@gmail.com